• Como vai ser 2015 para o comércio eletrônico?

Como vai ser 2015 para o comércio eletrônico?

Espere por um consumidor mais amadurecido, exigente e com acesso a novas tecnologias.
Veja aqui números, alguns até esquisitos, com dados estatísticos do Sebrae, da ABComm e do Google.

Negócios digitais em 2015

O e-commerce eletronic commerce – é o termo usado para “comércio eletrônico”, “comércio virtual” ou “venda não presencial”. A venda via computador, celular ou tablet, só aumenta aqui no Brasil.  Cresce em média 25% ao ano, e nos últimos 10 anos acumulou crescimento de 2.150%.

e-commerce no Brasil

evolução das vendas do e-commerce nos últimos 5 anos

*estimativa moderada para 2015, pois o % foi aplicado às vendas de 2014, um ano com eleições de copa.

O número de novos usuários cresceu: 1 em cada 2 brasileiros acessa a internet. E essa abrangência ainda é pequena, comparando nossa realidade com os EUA e Europa. Claro, quanto mais gente conectada, mais gente vai comprar pela internet.

Veja bem o que isso significa: metade dos brasileiros ainda vai entrar na internet!

Perceba o que ainda vai crescer esse mercado! São muitos possíveis consumidores novos para você.
1 em cada 3 brasileiros já fez compras pela internet. São 63 milhões em 2014. 5 milhões de brasileiros compraram pela primeira vez em 2014.

O que aconteceu com essas pessoas que já compraram?

fidelizar ou traumatizar?

o desafio da logística

Foram fidelizadas pela loja ou ficaram traumatizadas.

Se receberam na data esperada o produto certo, sem defeito, ficaram felizes e provavelmente vão comprar e recomendar esse fornecedor!

Os que não receberam, não gostaram do produto, ou tiveram alguma experiência ruim, pesquisarão mais da próxima vez, e talvez registrem esse fornecedor nos canais de reclamação que estão pipocando pela internet, ou pior, reclamam nas redes sociais para queimar o filme. Leia mais abaixo sobre lojas físicas + virtuais.

Consumidor está conectado 24hs

dia e noite conectado

consumidor conectado 24hs

O Brasileiro fica mais tempo nas redes do que o resto do mundo. Ele entra na loja física com celular em punho, para comparar e negociar.

O consumidor vai entrar na sua loja física com a sua loja virtual no bolso!

Importantíssimo trabalhar a estratégia de geolocalização – usar a facilidade de localizar dispositivos (smartphones e tablets) próximos à sua loja no momento.

Já são 72,5 milhões de brasileiros com Internet no celular.

Agora, o consumidor vive com várias telas à sua frente: celular na mesinha, tablet no colo e TV na frente.

E os negócios com tecnologia móvel?

m-commerce

a tecnologia móvel compra produtos e serviços

O m-commercemobile commerce – é o termo usado para vendas feitas por dispositivos móveis (tablets e smartphones). Tecnologia móvel não quer dizer que a pessoa está necessariamente em movimento num taxi, ônibus, metrô ou andando. 77% das buscas móveis acontecem em casa ou no trabalho. Só 23% acontecem em “movimento”. É importante você atingir a pessoa certa e no momento certo.

Em 2013 esse tipo de venda triplicou em relação a 2012, em 2014 ela duplicou em relação a 2013.
Os usuários experientes, Power-users, que já estão acostumados a comprar online, usam tablets e celulares. Os iniciantes, ou Soft-users usam PCs.

Por isso é muito importante que seu site seja responsivo, ou seja, que funcione e seja legível em qualquer tamanho de tela.

m-commerce no Brasil – nossas dificuldades, da maior para menor:

• Páginas demoram para carregar com banda larga de baixa qualidade e alto custo
• Layout ruim do site, com letras pequenas e de difícil leitura
• Consumidor desconfiado, não digita o nº do cartão de crédito na Internet
• Sites não apresentam características técnicas do produto
• Acham difícil digitar em dispositivos móveis
• Informações gerais não disponíveis, como política de troca e devolução por exemplo

Consumidor brasileiro hiper conectado

Consumidor brasileiro hiper conectado

Outras tendências

Lojas físicas e virtuais, juntas!

Empresas físicas abrindo lojas virtuais e vice-versa. Sua loja virtual pode ter unidades específicas só para a retirada do produto, ou usar parcerias estratégicas.

O consumidor empurra o mercado para isso, ele quer comprar online e retirar na loja por exemplo.

O nosso correio já bloqueou algumas regiões por falta de segurança nas entregas. Pontos diferentes para retirada é a solução.

Na Espanha você pode comprar na Amazon e retirar o produto na padaria mais próxima a você.

A Amazon já tem uma rede de parcerias para entrega dos produtos: padarias, bancas de jornal, lojas de ferragens, etc. Essas alianças estratégicas com diferentes parceiros são boas para os dois lados – a loja virtual vende mais, o parceiro é remunerado para fazer a entrega e ainda aumenta o fluxo de clientes nas suas lojas físicas.

lojas físicas e virtuais juntas

lojas físicas e virtuais juntas

Com isso, o frete fica mais barato ou até grátis, pois o maior custo é referente aos últimos quilômetros até a casa do consumidor. Que às vezes não tem gente no local para receber, demora para autorizar a entrada no condomínio, não há vaga para estacionar o veículo para o descarregamento, etc.

Essas parcerias são uma tendência muito forte no Brasil.

Se você só tem loja virtual pode colocar um tablet numa loja física parceira para consultas e vendas.

google glass

acessórios com tecnologia

Vestindo tecnologia

Novos dispositivos são desenvolvidos, aumentando ainda mais a quantidade de consumidores em potencial, e o tempo que eles ficam conectados.

Google Glass,  óculos em fase de refinamento de projeto, fez sucesso com engenheiros e cirurgiões para o registro de suas atividades.

Outro exemplo disso é o Apple Watch, relógio que avisa sobre compromissos, tamanho das ondas na praia mais próxima e o que mais você precisar.

relogio-da-apple-para-quem-nao-paraTudo isso exigirá o desenvolvimento de software e aplicativos especiais para esses dispositivos.

Internet nas coisas

Mais e mais dispositivos terão acesso à Internet: já temos smart TVs com YouTube e Netflix, geladeiras com conexão wi-fi e Twitter.

Nosso desafio é atingir o consumidor na hora certa e no dispositivo apropriado.

Sazonalidade consolidada

landing page "presente para namorada"

landing page “presente para namorada”

Dia das mães, dos pais… olho no calendário!

Use a Landing Page, página no site com sugestões de produtos por idade, por gênero, por ocasião.

Uma página de produtos mais vendidos também funciona bem, se vende muito é porque é bom!

Prepare a operação, reclamação não!

Olhe o processo, o atendimento, a embalagem, a tecnologia é sua aliada. Reinvente!

O Facebook é uma das empresas mais valiosas do mundo e foi uma reinvenção de outra rede, o Orkut.

Pé no chão e longe do reclame aqui!

Miriam de Mello Franco Fernandes

Google Partner 2014
Google Partner 2015